Sinopse
Um ladrão calmo, uma menina com um machado, uma vaca vermelha, um vento com a exata duração de vinte e um dias, o misterioso homem silencioso, a escritora chinesa com poemas inéditos, um panda zangado e uma mulher que anuncia uma radical mudança na sua cozinha.
Em seis contos, passando pelo Brasil, Sérvia, Macau e Luanda, Ondjaki aborda narrativas presas a um universo essencialmente feminino, oblíquo e inesperado. Por vezes em ritmo sincopado, como se do vento brotasse uma respiração; noutras, em frases curtas, aponta indagações humanas plenas de mistério.
O último conto, que dá título ao livro, resultou numa curta-metragem escrita e realizada pelo autor. Partindo de lugares ou situações mundanas (ou não), estas páginas revelam, também, a paixão de um autor que observa, retém e (nos) devolve com minúcia alguns detalhes menos óbvios do vasto comportamento humano.
Ler mais Ler menos

Detalhes

  • ISBN: 9789722131810
  • Editora: CAMINHO
  • Ano de Edição / Impressão: 2022
  • Dimensões: 210 x 137 x 8 mm
  • Páginas: 104

PROMOÇÕES ATIVAS

Novidades NATAL - 20% a 50% desconto em TODOS os livros
O autor
Ondjaki nasceu em Luanda em 1977.
Prosador, às vezes poeta. Co-realizou um documentário sobre a cidade de Luanda (Oxalá Cresçam Pitangas – Histórias de Luanda).
É membro da União dos Escritores Angolanos, membro honorário da Associação de Poetas Húngaros e cofundador da Associação Protectora do Anonimato dos Gambuzinos.
Está traduzido em francês, espanhol, italiano, alemão, inglês, sérvio, sueco e chinês.
Conta já com diversos prémios entre os quais: Prémio Literário Sagrada Esperança 2004 (Angola) e Prémio Literário António Paulouro 2004, com 'E Se Amanhã O Medo' (contos); Grande Prémio de Conto «Camilo Castelo Branco» C. M. de Vila Nova de Famalicão/APE 2007, com 'Os Da Minha Rua'; o Grinzane for Africa Prize – Young Writer 2008 (pelo conjunto da obra); Prémio FNLIJ Brasil 2010 e, também em 2010, o prémio JABUTI (Brasil), na categoria Juvenil, com 'AvóDezanove e o Segredo do Soviético' (romance); e o Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância, 2012, com A Bicicleta Que Tinha Bigodes. Em 2013, com Os Transparentes, ganhou o Prémio José Saramago.


Ler mais Ler menos