Sinopse
Claudia tem nove anos e é filha única. A sua vida gira à volta da mãe homónima, já que o pai – com idade para ser seu avô – passa os dias no supermercado que gere com a irmã, casada às escondidas com um tipo muito mais novo. Quando, porém, uma centelha de aventura parece disparar entre este rapaz e a jovem mãe de Claudia, a crise familiar instala-se abruptamente e mergulha a Claudia adulta numa depressão profunda, durante a qual se mete na cama a ler revistas, comentando com a filha como as mortes de Grace Kelly e Natalie Wood não podem ter sido senão suicídios. E, quanto mais a pequena Claudia precisa de esperança, mais a mãe lhe cria temores que a empurram para o abismo, donde nem as bonecas regressam.
Tomando como cenário um mundo em que as mulheres não conseguem escapar a casamentos impostos e prisões domésticas, esta é a história inquietante de como uma criança assume as revelações da mãe e os silêncios do pai para construir o seu próprio mundo, sem saber que, apesar de continuarem todos juntos, a família já ruiu há uma eternidade. Depois do sucesso internacional de A Cadela, publicado nesta mesma coleção, a escritora colombiana Pilar Quintana consolida com Os Abismos – vencedor do Prémio Alfaguara de Romance de 2021 – o lugar de destaque que conquistou nas letras hispano-americanas.
Ler mais Ler menos

Detalhes

  • ISBN: 9789722075251
  • Editora: DOM QUIXOTE
  • Ano de Edição / Impressão: 2022
  • Dimensões: 235 x 157 x 14 mm
  • Páginas: 200

PROMOÇÕES ATIVAS

Novidades NATAL - 20% a 50% desconto em TODOS os livros
O autor
Pilar Quintana (Cali, 1972) é uma das mais aplaudidas e lidas escritoras de toda a América Latina. Trabalhou como guionista de televisão e redatora de publicidade, mas teve também outras ocupações menos ligadas às letras, como ser terapeuta de jaguares, vender roupas ou passear cães. Foi escritora-convidada na Universidade do Iowa e participou no Workshop de Escritores Internacionais na Universidade Batista de Hong Kong. Foi ainda co-autora do guião do filme Lavaperros, realizado por Carlos Moreno, que este ano venceu em Huelva o Prémio Manuel Barba da Associação de Imprensa para o melhor guião. Viajou por todo o mundo ao longo de três anos e instalou-se num vilarejo da costa do Pacífico, numa casa sem eletricidade nem água canalizada, donde partiu para Bogotá, onde agora reside. A Cadela representou um marco na sua carreira como escritora e foi o romance literário mais vendido na Colômbia nos últimos anos, tendo vencido o Prémio Biblioteca de Narrativa Colombiana. Pilar Quintana confessou numa entrevista tê-lo escrito de fio a pavio no telemóvel, enquanto amamentava o filho bebé.
Ler mais Ler menos