José e Seus Irmãos IV

José, o Provedor
Promo
10%

José e Seus Irmãos IV

José, o Provedor
Em José, o Provedor (1943), o último volume da tetralogia José e os Seus Irmãos, acompanhamos a história da ascensão de José a grande senhor do Egito.
A sua fama como intérprete de sonhos chega aos ouvidos do faraó, que anda perturbado com um sonho recorrente que os seus adivinhos não conseguem interpretar. Convencido de que aquelas visões de vacas e espigas são importantes para os desígnios do reino, Akhenaton manda chamar José, que deslinda o enigma: o Egito terá sete anos de abundância, seguidos de sete anos de privação. Satisfeito com a explicação, e de modo a acautelar as consequências do flagelo vindouro, o faraó nomeia José provedor do Egito, dando-lhe plenos poderes para administrar a abundância nos anos de fertilidade e alimentar os países nos anos de seca e fome. Quando esta chega a Canaã, os irmãos de José deslocam-se ao Egito em busca de comida e este acontecimento irá precipitar o aguardado reencontro de José com os irmãos. Mas, antes de lhes revelar a sua identidade, há que submetê-los a um teste definitivo que responda à questão: serão os seus irmãos homens regenerados?
José e os Seus Irmãos é uma humanizadora abordagem às figuras mais lendárias da antiguidade, que Mann dota de todas as características e fraquezas dos homens, para oferecer uma emocionante resposta à crueldade do ser humano.
Ler mais

Os ebooks e audiobooks mais populares disponíveis na subscrição Kobo+e_Leya.

€ 22,49
PVP   € 24,99
Poupe € 2,50 (10%) Comprar

eBook
€ 16,19
PVP   € 17,99
Poupe € 1,80 (10%) Comprar
Novidade / -10% Promoção válida de 2021-10-26 a 2022-02-02
Ano de Edição / Impressão / 2021
Número Páginas / 720

Dimensões / 234 x 48 x 156 mm
ISBN / 9789722073448
Editora / DOM QUIXOTE
Promoções Ativas: Novidades
Autor
Thomas Mann nasceu em Lübeck, na Alemanha, a 6 de junho de 1875, e morreu em Zurique, em 1955. Em 1933, com a nomeação de Hitler como chanceler da Alemanha, Mann exila-se primeiro na Suíça e depois, em 1938, nos EUA, tendo obtido a nacionalidade americana em 1944. Após o fim da Segunda Guerra, Mann visitou a Alemanha Oriental e a Alemanha Ocidental diversas vezes, mas recusou-se a voltar a viver na Alemanha, preferindo estabelecer-se de novo na Suíça, em 1952.
Entre os seus livros, todos eles importantes, destacam-se os romances Os Buddenbrook (1901), Tonio Kröger (1903) A Morte em Veneza (1912), A Montanha Mágica (1924), Mário e o Mágico (1930), José e os Seus Irmãos (1933-1943) e Doutor Fausto (1947).
Mann é um dos maiores escritores do século xx, tendo visto o seu trabalho ser reconhecido com a atribuição do Prémio Nobel de Literatura, em 1929.