Sinopse
Publicado em 1919, com o pseudónimo Emil Sinclair, Demian conta-nos a história de uma difícil caminhada para a maturidade, que culmina nos dias sombrios da Primeira Guerra Mundial. Os seus protagonistas – o enigmático Max Demian e o narrador, o jovem Emil Sinclair – erguem, ao longo das páginas deste romance, um inesquecível grito de revolta contra os processos de uniformização então predominantes e contra a barbárie massificada que viria a constituir a marca mais característica do século XX.
Demian é um brilhante retrato psicológico de alguém que rompe com as convenções sociais em busca da realização espiritual e do autoconhecimento. Influenciado pelas ideias de Carl Jung, fundador da psicologia analítica, mas também pela sabedoria oriental, Hesse interroga-se acerca da natureza humana, com as suas contradições e dualidades, e aborda muitos dos seus temas característicos, alguns dos quais haveria de retomar em Siddhartha.
Romance cuja influência Thomas Mann comparou à de Werther de Goethe, Demian continua a marcar gerações de leitores, pois, como todas as obras-primas, a mensagem que contém é de perene interesse. O mais admirável êxito de Hesse e um dos mais importantes livros do século XX.
Ler mais Ler menos

Detalhes

  • ISBN: 9789722068802
  • Editora: DOM QUIXOTE
  • Ano de Edição / Impressão: 2019
  • Dimensões: 235 x 157 x 13 mm
  • Páginas: 192
O autor
Hermann Hesse nasceu a 2 de julho de 1877, em Calw, na Alemanha, e morreu a 9 de agosto de 1962, em Montagnola, na Suíça. Distinguido, em 1946, com o Nobel da Literatura, tornou-se uma verdadeira figura de culto, uma referência universal ancorada na exaltação que faz do indivíduo e na celebração de um certo misticismo oriental.
Peter Camenzind, o seu primeiro romance, data de 1904. Uma visita à Índia fê-lo descobrir uma cultura e modos de sentir que o fascinaram: Siddhartha (1922) foi o resultado prático dessa experiência, sendo o seu livro mais lido em todo o mundo. Durante a Primeira Guerra Mundial, refugiou-se na Suíça, país neutro, onde adquiriu a nacionalidade em 1923. Entre os seus romances, incluem-se O Lobo das Estepes (1927), Narciso e Goldmundo (1930) e O Jogo das Contas de Vidro (1943).
Ler mais Ler menos